-  

Conhecendo melhor a Bíblia - Lugares Bíblicos

Jericó

Fonte: Lista Exsurge Domini
Autor: John Nascimento
Transmissão: Rogério Hirota (SacroSancttus)

Jericó localizada na Palestina, na margem oeste do rio Jordão, é uma das mais antigas cidades do mundo. Seu nome é citado desde o Antigo Testamento da Bíblia, como a cidade das Palmeiras(Deuteronômio 34:3) e possuía muros altos e com vários metros de espessura, com pessoas morando na própria muralha.

De acordo com o Livro de Josué, Jericó representa uma das mais gloriosas vitórias dos israelitas quando conquistaram a terra de Canaã, em que receberam a ajuda divina para que as poderosas muralhas fossem derrubadas.

Embora tenha sido destruída, a região de Jericó continuou sendo habitada, embora se tenha tornado uma localidade pobre. No Novo Testamento bíblico, na época do domínio romano, a cidade é novamente mencionada durante o ministério de Jesus, em que se tem a menção à cura de dois cegos. Pode-se dizer que Jericó sobreviveu a vários impérios que dominaram a região da Palestina. Após os romanos e os bizantinos, a cidade foi alvo do expansionismo árabe, bem como das cruzadas. Fez parte do Império Otomano até 1917, depois esteve sob o controle do Coroa Britânica, passando para o controle Jordaniano entre 1948 e 1967 e logo foi conquistada por Israel na guerra dos seis dias.

Atualmente a Jericó é controlada pela Autoridade Palestina, depois de passar quase três décadas (1967 – 1994) sob controle israelense, sendo então a primeira cidade entregue ao controle palestino, após os acordos de Oslo (1993).

Deus tinha prometido a Abraão que os seus descendentes haviam de possuir a terra de Canaã :

- “Dar-te-ei, a ti e à tua descendência depois de ti, o país em que resides como estrangeiro, toda a terra de Canaã, em possessão eterna, e serei o teu Deu”.(Gen.17,8).

E o Senhor disse a Josué :

- “Levanta-te e passa o Jordão, tu e todo o povo, e entra na terra que Eu darei aos filhos de Israel. Todo o lugar que pisar a planta dos vossos pés, Eu vo-la darei como prometi a Moisés”.(Jos. 1,2-3).

Os cinco livros do Pentateuco contam toda a história do povo Hebreu a caminho da Terra Prometida.

O Deuteronómio conta a morte de Moisés e depois o seu sucessor, Josué, completa esta história da posse da Terra Prometida pela sua entrada em Jericó.

Antes de atravessar o rio Jordão, enquanto estavam acampados, Josué manda expias atravessar o rio para explorar o campo de Jericó, que se escondem na casa da prostituta Raab.

Ela diz-lhes que toda a gente sabe que eles vêm possuir aquela terra que lhes foi prometida, não os denuncia e pede-lhes ajuda para si e sua família, e ajudou-os a sair por uma janela porque a sua casa estava pegada ao muro da cidade.

Quando voltaram ao acampamento disseram :

- “O Senhor entregou nas nossas mãos toda esta terra; todos os seus habitantes tremeram de medo diante de nós”. (Jos. 2,/24).

Os Hebreus, conduzidos por Josué, passaram o rio Jordão a pé enxuto, como nos conta o Livro de Josué :

- “No momento em que chegaram ao Jordão, e os sacerdotes molharam os seus pés na beira do rio[...], as águas que vinham de cima pararam e amontoaram-se numa grande extensão, até perto de Adom, localidade situada nas proximidades de Sarran; e as águas que desciam para o mar de Arabá, o mar Salgado, ficaram completamente separadas. O povo atravessou-o em direcção a Jericó. Os sacerdotes que transportavam a arca da aliança do Senhor, conservaram-se de pé sobre o leito seco do Jordão, e todo o Israel o atravessou, sem se molhar. Ali permaneceram até que todo o povo acabou de atravessar o Jordão”.(Jos.3,15-17).

Eram quarenta mil homens equipados para o combate. (cf.Jos.4,13).

A cidade de Jericó é muito citada no Antigo Testamento :

* Foi a fronteira entre as terras da tribo de Benjamim e da tribo de Josué :

- “A sorte coube primeiro à tribo de Benjamim, segundo as suas famílias. Coube-lhe o território situado entre os filhos de Judá e os filhos de José. A sua fronteira, ao norte, partia do Jordão, subia ao monte pela vertente de Jericó”.(Jos. 18,11-12).

* Foi incluída nas terras de Benjamim :

- “As cidades das tribos de Benjamim, segundo as suas famílias, eram: Jerícó, Bet-Hagla, Hemek-Casis”...(Jos. 18,21).

* Supõe-se que Jericó já era uma cidade no tempo de David :

- “Ficai em Jericó até que vos cresça de novo a barba e então voltareis”. (2 Sam.10,5).

* Diz-se que foi reconstruída Jericó no reinado de Acab :

- “No reinado de Acab, Hiel de Betei reconstruiu Jericó”. (l Reis 16,34).

Isto deve referir-se á reconstrução das muralhas.

* Antes de Elias ser arrebatado, ele fala em Jericó :

- “Elias disse a Eliseu: Fica aqui porque o Senhor envia-me a Jericó. Por Deus e pela tua vida, respondeu ele, não te deixarei. E assim chegaram a Jericó. Os filhos dos profetas que estavam em Jericó, saíram ao encontro de Eliseu”...(2 Reis 2,4).(cf. 2,15 e 2,18).

* Foi fortificada por Báquides :

- “Naquele dia pereceram cerca de mil homens do exército de Báquides. Ele voltou para Jerusalém e edificou cidades fortificadas na Judeia, as fortalezas de Jerícó, de Emaús”..(1 Mac.9,49-50).

* Foi cena do assassínio de Simão e seus filhos :

- “Ptolomeu, filho de Abobo, fora nomeado comandante da planície de Jericó. [...] Maquinou, pois uma traição contra Simão e os seus filhos para se livrar deles”...(2 Mac. 16,11-16).

No Novo Testamento Jericó também é citada nos seguintes casos :

* Os dois cegos de Jericó :

- “Quando iam a sair de Jericó, seguiu-O uma grande multidão. Nisto, dois cegos que estavam sentados à beira da estrada, ao ouvirem dizer que Jesus ia a passar, começaram a gritar: Senhor, filho de David, tem piedade de nós”... (Mt.20,29 sgs.).

* Cura do cego Bartimeu :

- “Chegaram a Jericó. Quando ia a sair de Jericó com os Seus discípulos e uma grande multidão, o filho de Timeu. Bartimeu, [...] começou a gritar : Jesus, filho de David, tem piedade de mim”... (Mc. 10,46 sgs.).(cf. Lc. 18,35).

* Na história do bom samaritano :

- “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu em poder dos salteadores que, depois de o despojarem e encherem de pancadas, o abandonaram, deixando-o meio morto”...(Lc.10,30 sgs.).

* Na história de Zaqueu, o publicano :

- “Tendo entrado em Jericó, Jesus atravessava a cidade. Vivia um homem rico, chamado Zaqueu”.. .(Lc-19,1 sgs.).

* Citada por S. Paulo :

- “Pela fé, caíram os muros de Jericó, depois de rodeados durante sete dias...(Heb.1 1,30).

Queda dos Muros de Jericó

Diz o livro de Josué :

- “Jericó tinha cerrado suas portas e aferrolhado seus muros com medo dos Israelitas e ninguém ousava sair nem entrar na cidade. O Senhor disse a Josué: "Vê, entrego-te Jericó, o seu rei e seus valorosos guerreiros. Dai uma volta em tomo da cidade, vós e todos os homens de guerra. Fareis isto durante seis dias. Sete sacerdotes, tocando sete trombetas, irão à frente da arca. No sétimo dia, dareis sete vezes a volta à cidade, com os sacerdotes a tocar a trombeta. À medida que o som da trombeta for crescendo, e a sua voz se tornar mais penetrante, todo o povo irromperá em grande clamor e a muralha da cidade desabará. Então o povo subirá para a cidade, cada um no lugar que lhe ficar em frente”. (Jos.6,1-5).

Exactamente como fora predito, a cidade foi totalmente destruída pelos Israelitas.

Como os narradores sempre entenderam que se tratava de uma guerra santa feita mais por Deus do que pelo exército de Josué, eles não estremeceram com a descrição da completa destruição de homens e mulheres, jovens e velhos, e todos os animais, a fio de espada.

Através do tempos a crença de uma guerra santa aumentou com a ferocidade das armas.

É de notar muito em especial que a queda de Jericó, não só foi ordenada por Deus, como também se deu num Sábado.

Os despojos desta vitória, consagrados pelo toque das trombetas, foram dedicados ao Senhor.

Apesar de ser bem clara a descrição bíblica, tem-se tentado encontrar uma explicação natural para o facto do desabamento dos muros, julgando não encontrar explicação satisfatória no toque das trombetas.

Nos anos trintas, pensaram os arqueólogos que se poderia tratar de algum tremor de terra, mas não conseguiram prová-lo.

Um historiador militar britânico, General Sir Richard Gale, pensou que a queda dos muros de Jericó foi devida à incapacidade da vontade dos habitantes para a luta.

Outros comentadores sugerem que esta história tem os seus fundamentos na traição de Raab, que teria aberto as portas da cidade e teria deixado entrar os Israelitas quando ouviu o grande estrondo vindo do lado de fora.

Jericó tem sido uma fascinante história arqueológica durante todo o século XX.

Fizeram-se escavações em Hazor e em Lachish que revelaram uma grande destruição desde o século XIII a.C., mas não foram encontradas reminiscências dos muros de Jericó.

De 1907 a 1911, um grupo chefiado por E. Sellin e C. Watzinger, exploraram cuidadosamente o lugar de Tell es-Sultan.

Todavia, aquilo que Sellin julgava que eram as ruínas de Jericó, do século IX a.C., pertenciam ao século XVII a.C. cerca de oito século antes de Jericó.

A última etapa em busca de reminiscências de Jericó, foi conduzida pela arqueóloga Kathleen Kenyon em 1950.

Ela confirmou a grande antiguidade de Jericó, mostrando que ela seria talvez a mais antiga cidade conhecida do mundo.

Chegou à conclusão de que a última maior cidade deste lugar teria sido destruída cerca de 300 anos antes de Moisés, ou sejam 400 anos antes de Josué.

Assim, a já longa e ardente questão dos muros do tempo de Josué está ainda por obter resultados positivos.

Por falta de evidências os arqueólogos modernos pensam que Jericó seria provavelmente uma cidade pequena do tempo de Josué.

E assim, os seus muros teriam sido construídos com tijolos de barro, não cozido, e que com o tempo se poderiam deteriorar.

Na ausência de explicações razoáveis, uma coisa é certa: todo o mistério dos muros de Jericó permanece como uma mensagem espiritual de uma história clara em sem igual.

S. Paulo considerava o facto como fruto da fé :

- “Pela fé caíram os muros de Jericó, depois de rodeados durante sete dias”. (Heb.11,30).